"É ATRAVÉS DA VIA EMOCIONAL QUE A CRIANÇA APREENDE O MUNDO EXTERIOR, E SE CONSTRÓI ENQUANTO PESSOA"
João dos Santos

sábado

O que é a Psicoterapia Cognitiva -Comportamental?



1.      A Terapia Cognitivo-Comportamental: modelo de resposta emocional
A Terapia cognitivo-comportamental (TCC) é uma forma de psicoterapia que se baseia no pressuposto de que os problemas emocionais e comportamentais do individuo surgem na sequência de uma percepção distorcida ou disfuncional dos acontecimentos diários, influenciando assim o afecto e o comportamento humano. É aqui de salientar, que esta terapia não diz às pessoas como elas devem pensar, sentir ou agir numa situação problemática. Antes, ajuda o individuo a aceitar de uma forma mais saudável e calma um determinado problema pessoal. Desta forma, não só o individuo se sente melhor, como mais facilmente consegue utilizar os seus recursos, energia, inteligência e conhecimentos para resolver o problema.

2.      A boa relação terapêutica é importante mas não o foco
Para ajudar o seu cliente, o terapeuta procura entender como é que perante um problema o individuo se: comporta (o que a pessoa faz e como o faz), as suas cognições (o que a pessoa pensa e sente) e as condições ambientais (como se estrutura e organiza o ambiente no qual a pessoa vive). Á medida que se vai compreendendo como é que estes três factores interagem entre si, o terapeuta elabora um plano de intervenção para modificar ou corrigir a distorção ou disfuncionalidade que provocam sofrimento ao individuo.

3.      Esforço colaborativo entre terapeuta e cliente
Para conseguirem chegar a um perfeito entendimento do individuo o terapeuta geralmente faz perguntas (método socrático). O terapeuta também incentiva os indivíduos a se questionarem a si mesmos, como: “como é que eu sei que as pessoas se estavam a rir de mim?” “Elas podiam estar a rir-se de outra coisa qualquer que não eu”.

4.      Terapia estruturada e directiva
Os terapeutas cognitivo-comportamentais têm uma agenda própria para cada sessão. Em cada uma determinados conceitos acerca da problemática são ensinados e debatidos. Não esquecer que esta terapia se centra nos objectivos dos pacientes. Nós não dizemos aos indivíduos quais é que são os seus objectivos o que “deve” ser ou o que “deve” tolerar. Somos directivos no sentido em que mostramos aos indivíduos a forma de pensar e agir de forma a atingirem aquilo que pretendem. Resumindo, os terapeutas cognitivo-comportamentais não dizem aos indivíduos o que fazer, em vez disso eles ensinam como fazer.


5.      Terapia baseada num modelo educacional
Esta terapia baseia-se na suposição científica que a maioria das reacções emocionais e comportamentais é aprendida. Portanto o objectivo da terapia é ajudar as pessoas a desaprender as suas reacções indesejadas.
A ênfase educacional desta terapia tem um benefício adicional – que leva a resultados a longo prazo.

 6. O Método indutivo
O método indutivo encoraja-nos a olhar para os nossos pensamentos como hipóteses ou suposições que podem ser questionados e testados. Se descobrirmos que nossas hipóteses estão incorrectas (porque temos novas informações), então podemos mudar o nosso pensamento para estar em sintonia com a situação como realmente é.

7.Trabalho-de-casa: uma característica central
A realização e concretização de objectivos poderia levar muito tempo se o individuo pensasse sobre as técnicas e temas que aprende durante apenas uma hora, duração de uma sessão de terapia. É por isso que os terapeutas cognitivo-comportamentais atribuem tarefas de leitura e encorajam os indivíduos a praticar em casa as técnicas aprendidas. 

A Terapia cognitivo-comportamental é uma terapia de resposta breve, focada no problema, e se manifesta bastante eficaz num leque diverso de problemas, quer em adultos, quer em crianças. 

Por Dra. Carolina Mesquita

Sem comentários:

Enviar um comentário